Social Icons

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Save Point I: Background

Olá queridos Nerds,

E vamos começar mais uma semana com as histórias da bárbara Felícia Naswoolf.

Antes de começar com esta saga épica, temos que ler o background da nossa protagonista. Como o pessoal do RPG sabe, normalmente suas personagens tem uma história, um fundo sobre seus desejos e ambições, que fazem com que esta personagem enfrente obstáculos e escolha caminhos a seguir. Esta história pode ser uma vingança, uma buscar por relíquias, o resgate de alguém ou uma fuga alucinada.

O background ajuda o mestre a construir, dentro das aventuras, uma personagem que poderá ajudar ou não os jogadores a completar seus objetivos, mas, acima de tudo, mostra que o mundo é feito de pessoas únicas e diferentes, com valores pessoais e sentimentos próprios.

Vamos agora a história de Felícia...

     Filha de um elfo com uma humana, a dedicada Felícia Naswoof sempre se interessou por histórias de grandes batalhas e guerras entre o bem e o mal, e sempre quando podia, treinava com seus amigos um pouco da arte das lutas. Nunca foi muito interessada nos afazeres domésticos, mesmo desde pequena ajudando o pai nas necessidades do estábulo na pequena vila onde nasceu e cresceu, ganhando um fascínio pelos animais e pela cavalgada.

     Certo dia, em uma manhã ensolarada e típica do verão do norte, com ventos frios e castigantes para quem não está acostumado ao clima ríspido, seus pais apareceram felizes na porta de seu quarto. Sua mãe tinha os olhos brilhantes. Espantada, Felícia os acolheu com um sorriso, mesmo tendo atrapalhado suas fantasias. 


- Posso ajudar em algo, mãe? Estava escrevendo um pouco. – a garota gostava muito de escrever em seu diário seus mirabolantes devaneios sobre tudo que fazia.
-Venha à sala pra ver uma surpresa que temos para você, minha querida. 

      Ao cruzar a porta, a jovem viu um belo moço alto e forte, de cabelos longos e olhos acinzentados. As feições daquele elfo deixariam qualquer donzela cheia de uma mistura de sentimentos agitados. Porém, Felícia sabia o que aquele rapaz fazia em sua casa e sentiu seu coração despedaçar.

- Querida, esse é o Felix Nirron. – disse seu pai – Ele é um ótimo caçador e já lutou em muitas batalhas. 

      O orgulho de seus pais era evidente. Felícia já tinha idade para se casar e Felix por ser elfo iria gerar filhos de sangue puro. Seriam uma família feliz e a garota seria uma dama, mas não era o que a jovem queria para seu futuro.

- É um prazer conhecê-la, senhorita Felícia. Você é uma moça muito bonita. 

      Um sorriso carismático saiu do rosto da garota e algumas lágrimas ameaçaram brotar, mas não eram de felicidade. Felícia saiu em disparada pelo vilarejo e parou somente quando encontrou um carvalho com uma linda vista para o mar, seu refúgio nas horas amargas e indecisas. Subiu o mais alto que pode e chorou como nunca antes havia chorado. 
     Durante dois dias, Felícia se sentiu perdida em pensamentos e não saiu de casa. Na data e hora marcada, Felix retornou ao encontro da jovem para mostrar seu futuro lar. Os dois caminharam em direção a um bosque um pouco distante do vilarejo em que morava, onde logo a frente se viu uma casa parcialmente construída. O dia estava um pouco frio, mas enquanto se afastavam mais da pequena vila, o calor se mostrara intenso. Ela ainda detestava a ideia de se casar, afinal não era uma dona de casa, mais sim uma guerreira. A conversa do elfo com a garota sobre sua próxima morada, que mais parecia um monólogo, revelava  o orgulho de Felix por ter construído tudo praticamente sozinho. Enquanto Felix falada, ela apenas escutava, mas suas ideias vagavam longe como uma folha solta ao vento. 

- Espero que seja do seu agrado. – o jovem se exaltava enquanto chegavam mais perto do local.

- É. Talvez seja.

- Não gostou? – Felix sentiu certo desapontamento de Felícia.

- Sim, sim.

- Venha, quero te mostrar algumas coisas. 



      Ao entrarem e descerem as primeiras escadas, ela viu uma sala abarrotada de armas e equipamentos de guerra, armaduras e mochilas. Não se conteve e entrou, sem saber se lhe era permitido. Os olhos de Felícia brilhavam, eram equipamentos lindos e dos mais variados tipos. Felix Nirron percebeu o interesse de sua amada e tentou quebrar aquele ar de mistério da jovem. 

- Lembra que seu pai havia comentado que lutei em muitas guerras? Bom, esses equipamentos foram adquiridos nestas batalhas, até essa bolsa mágica. - ele apontou para uma pequena bolsa de couro rasgada.

- Infelizmente ela foi avariada em uma batalha e não sei arrumar.

- Eu arrumo pra você, sou uma boa costureira.

- Excelente, minha linda. - Aquele elogio fez o coração de Felícia bater forte e diferente. A jovem esboçou um sorriso.

- OK, podemos voltar para minha casa?

- Por que? Não te mostrei tudo.

- Estou me sentindo mal. Vamos, por favor. - Felícia detestava ficar confusa sobre coisas que envolviam sua vida e seus caminhos.

- Tudo bem. – Felix percebeu que não seria nada fácil agradar seu amor, mas faria o que estivesse ao alcance para não perdê-la. 

      Naquela noite Felícia colocou um plano de fuga em prática. Durante as próximas semanas, antes da data do casamento, Felix fez tudo o que ela queria e a jovem até se sentiu atraída pelo carinho que ele dedicava, mas não esqueceu seu objetivo e foi preparando alguns itens essenciais para sua fuga. 
     Um dia antes do casamento, Felícia desceu a planície ao leste e fugiu no meio da madrugada. Mas antes de ir, ela passou em sua futura casa e deixou um bilhete para Felix, que dizia:


"Querido Felix, 

      Desculpe-me por estar sumindo desta forma, mais eu não sou uma dona de casa e sim uma guerreira. 

     Durante esses dias, confesso que me apaixonei por você, mais quero seguir meu sonho. 
     Espero poder encontrá-lo um dia. 

Te Amo."


      Felícia sumiu noite adentro, sem deixar rastros, apenas o bilhete.

Semana que vem vai ter o inicio desta saga...


Nenhum comentário:

Postar um comentário